domingo, 31 de janeiro de 2010

Meio técnico científico informacional como forma de ver a evolução.


"Muitos devem ter saudades da Olivett!"

Quem tem pelo menos os seus vinte e tantos anos vai se lembrar desta máquina postada ao lado do moderno notebook com o qual agora escrevo e comunico-me com o mundo que está a minha volta. Os mais novos perguntarão do quê se trata a máquina e poderão achar até que ela é mais moderna que o próprio note, basta ter imaginação! Mas a Olivetti college que aparece aqui bem conservada é uma máquina da década de 80 do século passado, e com certeza deixou saudade em muita gente boa, não só escritores jornalistas e os famosos datilógrafos. Antes de escrever esse comentário eu mesmo (datilografei) algumas palavras, e o barulinho que a máquina faz é maravilhosamente nostalgico! Tem também a vantagem de não necessitar de energia elétrica(sustentável!).

É mais uma forma de observarmos o acúmulo de conhecimentos ao longo do tempo, que faz da ciência uma máquina incansável na busca de novas descobertas que revolucionam o nosso planeta.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Resultado ENEM

Saiu o resultado. Confira em http://sistemasenem2.inep.gov.br/Enem2009/

Fotos







Tenha sempre que puder uma câmera em mãos. Ela sempre pode te ajudar a guardar momentos únicos em sua vida!

Dica






Assim que puder não deixe de ir ao Pão de açúcar, aqui no Rio. O local está bombando nestas férias com o projeto que cobra metade do valor para moradores do Rio de Janeiro(cidade). A atmosfera por lá é muito bacana com a diversidade de pessoas vindas de todas as partes do mundo, a paisagem é linda e certamente você não se esquecerá nunca mais. Lá por cima, mas precisamente no Morro da Urca você ainda pode se tiver uma boa grana sobrando fazer um voo panorâmico de helicóptero que custa no mínimo R$ 150,00 por um voo de 7 minutos. Os ingressos para o alto do morro custam R$44,00.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Alerta


"As casas ao fundo estão em situação de risco pleno. Não vamos esperar o pior acontecer e culpar o poder público".
Saem todos os dias nos jornais notícias sobre casas em regiões de risco de desabamento, geólogos explicando os motivos da queda, etc. Usarei então esse blog para fazer um comunicado.
Em Maricá, estado do Rio de Janeiro, visitei uma localidade que sempre me deixa estarrecido dada a falta de cuidado com as construções em áreas de risco, que acontecem não somente por lá. Na rua Paulo Peçanha Conde, Bairro da Amizade altura da Lagoa, existem casas que estão sendo construídas com barreiras de até 85° acima de seus telhados. Isso mesmo. Não haverá chance alguma de salvar qualquer vida em caso de desabamentos, que podem levar 10 dias, 10 anos, ou 10 milênios na escala geológica para desabar. Por favor, não vamos deixar isso acontecer. É mais fácil gastar agora do que esperar para gastar depois.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Zilda Arns


"Crianças precisam ser salvas não apenas da fome. É preciso dar a elas condições de ter um desenvolvimento" Zilda Arns em entrevista à Roberto Dávila, 2005. Foto Rebeca Pacheco.

É difícil acreditar que a tragédia que se abateu no Haiti tenha levado consigo uma das mulheres mais importantes que o Brasil já teve. Mas traz consigo uma sensação de dever cumprido, de uma guerreira que morreu em combate, embora de forma natural.

Doutora Zilda estava no Haiti para falar da Pastoral da criança, uma associação que nasceu em 1983 para salvar milhares de vidas pelo mundo à fora. Criou a metodologia que atraiu a atenção da ONU (UNICEF) e aplicou na cidade de Florestópolis, na região sul do Brasil, onde de cada 1000 nascimentos, ocorriam 128 mortes de recém nascidos. Com a sua prática e sensibilidade, notou que o grande problema destas mortes era a falta de educação, higiene e conhecimento das mães, em geral de baixa escolaridade. No primeiro ano da Pastoral(baseada no evangélio de João- do milagre da multiplicação), o número de mortes caiu para 28 à cada 1000. Ela sabia que apenas o conhecimento é capaz de salvar, e que além de salvar as crianças da fome, é necessário que se dê a essa criança condições de vida, condições de brincar e se desenvolver. Hoje suas sementes estão lançadas em mais de 15 países, como México, Argentina, Uruguai, Bolívia, Costa Rica, Timor Leste, Angola e Moçambique.

Pregava a articulação de programas sociais associados a melhoria da educação e saneamento básico. Tinha uma visão sociológica bastante apurada e se incomodava com a elite brasileira, que segundo a mesma "só pensa no presente". Dedicou-se a salvar vidas, destinava muito mais tempo aos outros do que a sua própria família.

Mas guerreiros não morrem em vão. O exemplo de Zilda é o exemplo do bem, que uma sociedade mais justa e igualitária pode e deve se dedicar a conseguir.

Que Zilda descanse em paz. Ela foi um anjo que colocou seus conhecimentos em serviço de um mundo mais digno e menos pelo financeiro.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Ajuda e perspectiva.


Muito difícil pensar na reconstrução do Haiti. Quem já foi ou conhece alguém que tenha passado um tempo no país sabe o que era o mesmo e pode ter uma idéia do que é agora. É difícil não por questões financeiras, mas por questões históricas, estruturais; por ter uma população com baixa escolaridade e esclarecimento, mesmo que numa situação de catástrofe como a que assolou o Estado esse fator não tenha muita relevância de maneira a evitar o ocorrido. O Haiti precisará de técnicos, tempo, conhecimentos e tecnologia para resolver os seus problemas. A ajuda em forma de trabalho é o que de mais rico podemos agora oferecer a esses irmãos que dependem de maneira extrema do legado da revolução científica. Será um desafio para nós. Agora é hora de fazer valer a globalização, o uso da técnicas, o MTCI, conhecimento acumulado. A integração e utilização das técnicas em favor da ajuda, do amor e da esperança de construir uma nova nação. Só dinheiro não adianta.

Cerca de 45%da população do Haiti é analfabeta.

Seria verdade?

Internet explorer facilitando a entrada de vírus em contas do Google? Será que a concorrência chega a ser assim tão desleal? Bom, sem estar aqui fazendo apologia a qualquer navegador de internet, à muito eu não passo nem perto do IE. Não sei porque ainda existe no meu computador, já que os outros todos estão instalados e me são muito mais amigáveis! Agora com essa suspeita eu fiquei realmente com a "pulga atrás da orelha" de vez!

Twitter

Já somos o país com o segundo maior número de usuários. Perdemos apenas para os EUA.
Se quiser seguir o meu anote aí: www.twitter.com/cleberpacheco

Periferias

O bilhete único é o início para uma nova chance aos moradores da região metropolitana do Rio de Janeiro. Municípios como São Gonçalo, Maricá,Magé, Nova Iguaçu, Caxias e Niterói têm o custo com transporte muito alto, com passagens que chegam à custar R$ 9,00 (por exemplo de Maricá para o Rio de Janeiro), o que dificulta muito a vida de quem procura emprego por estas áreas.

Uma outra preocupação é com a questão da segurança. Esta semana já tivemos um ataque a comunidades carentes em Niterói por parte do crime organizado vindo da capital do Estado. É que com a criação das Unidades de polícia pacificadoras em regiões onde o crime era muito forte no Rio vem fazendo com que os bandidos procurem outras regiões para estabelecerem o seu comércio, principalmente de drogas. É preciso que o pessoal do governo do Estado esteja atento à essa manobra.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Cultura

O movimento Hip Hop, surgiu no final da década de 1960 nos EUA, mais especificamente no Bronx. Esse , foi criado como uma forma de reação aos conflitos sociais e a violência sofrida pelas classes menos favorecidas! O Hip Hop, é formado por quatro elementos:Rap, Dj,Dança e o Grafite. video

Fonte: http://kakazinha17.blogspot.com/2009/12/luzia-11-mil-anos.html?showComment=1263485875608_AIe9_BElJNewdqVzHffR4QW2GY-nGeQCY-CcuiHW1RsOfNvyQUgfNpPtsYLObSnDgWQPdqXq_6iMKPptGNF1zodVdlHZBYdxirgNlRPagNNgL5kcA8v5NJztlecLzh6PxH90-Rk78IzqxAyOUAgi4xeW5c67Y0LgCKVjmMbZCusWWTEiGKX_PKdOTFVMhugSJJMGWe0s7Do2CZKoZ3zQo4ZAnVwPa5-WEblLy2EscfXt9wD3vbVogTQ#c2790625860064773642

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Haiti


Um país pobre, entre os mais pobres do mundo, um dos últimos colocados no índice IDH, uma população sofrida por ser acuada por governos totalitários e infelizes e por capricho natural, situado numa região entre as placas de Caraíbas e Norte americana. Acontece que as placas precisam mover-se e por ter uma liberação de energia muito próxima à superfície já contabilizamos pelo menos 100.000 mortos, situação que pode ser ainda mais desesperadora e aterrorizante. As ajudas internacionais serão muito bem vindas mas a necessidade de se reconstruir a já frágil infraestrutura do país e ainda por cima salvar do precipício os sobreviventes do terremoto serão as mais difíceis tarefas dos próximos meses ou anos.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Áreas de risco no Rio

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/01/09/o-mapa-das-areas-de-risco-das-cidades-do-rio-915497198.asp

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Dados do agronegócio

A China é agora a nossa maior compradora de commodities agrárias. Passou a UE e está com 13% das nossas exportações. O Brasil tem sua balança comercial com 42% composta por produtos agrícolas. A soja continua sendo a estrela do país, e a carne teve uma queda no volume exportado. Dados do ano 2009.

O ano para o agronegócio teve uma queda, mas não foi ruím, porque ninguém deixa de comer.

Consumo

Essa semana assistí à japoneses que entram numa loja para comprar produtos que vem numa sacola lacrada, e que eles nem sabem o que são. Incrível? Pior, eles não tem direto após abrir o pacote de não ficar com o produto pedindo uma troca à loja. Bom, então é literalmente uma compra no escuro.

Agora uma rede de lojas oferece descontos de até 70% em seus produtos e pessoas passam até 3 dias na fila para comprar o que puderem!

Realmente o consumo conseguiu fazer com que as pessoas fiquem doentes e sem nenhuma noção da sua real importância.

Comprar já é uma doença.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Anote aí.

R$ 800.000,00 foi quanto custou cada parlamentar federal à você pagador de impostos, por mês em 2009. Informação de Jorge Maranhão, rádio CBN.

Índice pluviométrico.


O climatograma acima mostra que na cidade de Buenos Aires o mês de março é o que tem o maior índice pluviométrico durante o ano (pouco acima de 150mm)

É a quantidade de chuva que caí numa determinada região(em m²) em determinado período(dia, mês, ano). Normalmente medido em mm. Estações pluviométricas são espalhadas por todas as cidades e contam com aparelhos chamados pluviômetros para fazerem as suas medições. Através de uma série de medições podemos chegar ao número chamado de previsto para um determinado mês na cidade estudada. No clima, são necessários pelo menos 30 anos para determinarmos um determinado padrão.

Me preocupa...

... falar de desenvolvimento num país em que 65% da população não tem qualquer acesso à internet!
Vivemos num mundo de redes e mais da metade de nossos compatriotas estão sem nenhum contato com o mesmo!

CES Las Vegas 2010.

Até domingo o pessoal da tecnologia acompanhará a CES 2010, feira que apresenta os lançamentos dos GADGETS que farão sucesso este ano. Até agora foram apresentados produtos muito bacanas como novas tv´s que exibem imagens em 3D ao invés de 2D(nem consigo imaginar, mas basta assistir o filme AVATAR, de James Cameron, que está nos cinemas). Boa notícia também para usuários do SKYPE, que promete melhorar a definição das videoconferências com a nova atualização de seu programa. Alguns fabricantes de tv´s também já prometem usar o SKYPE em seus aparelhos, o que daria a estes dispositivos uma nova função bastante fascinante, digna dos Jetsons!!!!

Viva o MTCI!

Terra-organismo vivo

Veja como terremotos, furacões e tsunâmis são foramados.

http://veja.abril.com.br/especiais_online/desastres_naturais/index.html

Estudo geológico pode evitar tragédia


Construir em áreas mesmo de vegetação conservada pode ser muito perigoso. Aspecto de Praia Brava, Angra dos Reis,RJ. Veja que a vegetação é preservada, mas os solos podem ser muito rasos.

Morar em área de encosta pode custar muito caro ao morador e ao poder público. Essa reportagem saiu no site da Veja.

Por Luiz França


O desencontro entre projetos arquitetônicos e as características dos terrenos onde edificações são de fato erguidas está na origem de desastres como o ocorrido na semana passada em Angra dos Reis, no litoral fluminense. Quem defende a tese é o geólogo Álvaro Rodrigues dos Santos, consultor em geologia de engenharia, geotecnia e meio ambiente. Por isso, quem pretende comprar um terreno para construção, especialmente em zonas de encosta, deve respeitar as características naturais da área e levar em consideração não apenas os cálculos de estrutura da fundação, mas também análises geológicas.
O estudo oferece ao projetista o quadro completo dos fenômenos geológicos que podem afetar a área escolhida. "Para a aquisição de terrenos, especialmente em regiões caracterizadas por riscos geológicos, a análise deveria ser uma exigência do comprador", diz Santos.

Dieter Muehe, professor do Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), acrescenta que, em geral, os projetos de arquitetura só fazem a sondagem por meio de cálculos para verificar a profundidade e resistência das estacas. "Isso deixa de fora os aspectos que vão dizer quais as possibilidades da ocorrência de desmoronamentos", diz Muehe.

De acordo com o professor, a tragédia ocorrida na Enseada do Bananal, na Ilha Grande, em Angra dos Reis, é uma prova de que apenas raízes das árvores não dão sustentação a uma encosta. "Quem avistava de longe a área recoberta por verde não imaginaria que tudo aquilo poderia desabar", diz. "Caiu porque era uma camada não muito espessa de terra em cima de um maciço de rocha para a qual raiz nenhuma dá sustentação." Análises de solo, exploração aérea ou uma simples foto de satélite podem ajudar no diagnóstico. "Cicatrizes de escorregamentos no passado podem servir como orientações", explica Muehe.

Nem todos os arquitetos, porém, conhecem a recomendação dos geólogos. Fernando Brandão, vice-presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (ASBEA), afirma que todo projeto realizado em áreas de risco é acompanhado por um engenheiro de estrutura de fundações. "Eu não sabia que o geólogo fazia esse tipo de cálculo para construção civil", diz.

Os estudos geológicos e geotécnicos podem, por fim, encarecer o custo do projeto. Segundo o geólogo Álvaro Rodrigues dos Santos, o trabalho pode representar até 40% do valor do trabalho - que, por sua vez, corresponde no máximo a 5% do custo total do empreendimento.

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/angra-reis-tragedia-desmoronamento-523587.shtml?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

Observe que o campo parece novo aos profissionais que trabalham com construção, mas na verdade esse modo de trabalho é um "upgrade" para que eventos como estes não tornem a acontecer. Vale a pena uma análise.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Imagens do Rio em 360º


No serviço "street view" é como se você estivesse andando pela cidade.

O Google começa a mapear as ruas do Rio e de São Paulo neste mês de Janeiro com o serviço de câmeras em 360º, o Google Street view, é feito com aparelhos de captura de imagens, GPS e computadores à bordo de veículos motorizados. O resultado final é impressionante e pode ser conferido no Google earth ou Google Maps (deverá estar pronto em Junho ou Julho, no caso de Rio e SP, mas outras cidades como Nov Iorque, Paris e Londres já estão disponíveis). Viagem garantida pelo computador.

Veja mais em http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1434426-6174,00.html
http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia-tecnologia/brasil-detalhes-google-street-view-523419.shtml

Rios

A desocupação das margens dos rios na baixada fluminense pode ser um sinal de menos tragédias na região. O projeto Iguaçú promete aliviar as problemáticas regionais de uma forma inédita.

http://www.serla.rj.gov.br/mais/pj_iguacu.asp

domingo, 3 de janeiro de 2010

CARACTERÍSTICAS DO SOLO


Fenda de Nossa Senhora, Arraial do Cabo, RJ.

Cor
Se alguém lhe perguntar qual é a cor do solo, você provavelmente dirá marrom. Mas você deve ter notado quantas cores diferentes de solo existem. A variação é muito grande nos tons de marrom, podendo chegar até preto, vermelho, amarelo, acinzentado.Essa variação irá depender do material de origem como também de sua posição na paisagem, conteúdo de matéria orgânica, e mineralogia, dentre outros fatores. Por exemplo, quanto maior a quantidade de matéria orgânica, mais escura é a cor do solo, o que pode indicar fertilidade ou apenas condições desfavoráveis à decomposição da mesma. As cores com tonalidades avermelhadas ou amareladas estão associadas aos diferentes tipos de óxidos de ferro existentes no solo. Quando a quantidade destes óxidos é grande, os solos apresentam-se vermelhos, como por exemplo, a terra roxa. Já os solos com elevada quantidade de quartzo na fração mineral apresentam coloração clara.
Em solos com baixa capacidade de drenagem, isto é, com excesso de água, a cor é acinzentada. Isto, porque os óxidos de ferro são lavados para o lençol freático, o que torna o solo mais claro. A cor branca a acinzentada é conseqüência da presença de minerais silicatados existentes na fração argila do solo.
Textura
É o tamanho relativo das diferentes partículas que compõem o solo, sendo que a prática de sua quantificação é chamada granulometria. As partículas menores que 2 mm de diâmetro (areia, silte e argila), são as de maior importância, pois muitas das propriedades físicas e químicas da porção mineral do solo dependem das mesmas. Assim, usualmente se consideram apenas as três frações menores para caracterizar a textura. Para o estudo da textura geralmente são utilizadas peneiras (para solos granulares) padronizadas, nas quais uma porção de solo é separada nos diferentes tamanhos constituintes. No caso de solossilto-argilosos, utiliza-se o procedimento do densímetro ou então o da pipetagem. Para a determinação textura temos:
Argila: partícula com diâmetro inferior a 0,005 mm
Silte: partícula com diâmetro entre 0,005mm e 0,05mm

Areia fina: partícula com diâmetro entre 0,05mm e 0,42mm

Areia média: partícula com diâmetro entre 0,42mm e 2,0mm

Areia grossa: partícula com diâmetro entre 2,0mm e 4,8mm

Pedregulho: partícula com diâmetro entre 4,8 e 76 mm.

Formação de solos

A natureza e o número de horizontes variam de acordo com os diferentes tipos de solo. Os solos geralmente não possuem todos esses horizontes bem caracterizados, entretanto, pelo menos possuem parte deles.

Perfil do solo: horizontes.
Horizonte O: camada orgânica superficial. É constituído por detritos vegetais e substâncias húmicas acumuladas na superfície, ou seja, em ambientes onde a água não se acumula (ocorre drenagem). É bem visível em áreas de floresta e distingui-se pela coloração escura e pelo conteúdo em matéria orgânica (cerca 20%).
Horizonte A: camada mineral superficial adjacente à camada O ou H. É o horizonte onde ocorre grande atividade biológica o que lhe confere coloração escurecida pela presença de matéria orgânica. Existem diferentes tipos de horizontes A, dependendo de seus ambientes de formação. Esta camada apresenta maior quantidade de matéria orgânica que os horizontes subjacentes B e C.
Horizonte E ou B: camada mineral situada mais abaixo do horizonte A. Apresenta menor quantidade de matéria orgânica, e acúmulo de compostos de ferro e argilo minerais. Ocorre concentração de minerais resistentes, como quartzo em pequenas partículas (areia e silte). Éo horizonte de máximo acúmulo, com bom desenvolvimento estrutural.
Horizonte C: camada mineral de material inconsolidado, ou seja, por ser relativamente pouco afetado por processos pedogenéticos, o solo pode ou não ter se formado, apresentando-se sem ou com pouca expressão de propriedades identificadoras de qualquer outro horizonte principal.
Horizonte R: camada mineral de material consolidado, que constitui substrato rochoso contínuo ou praticamente contínuo, a não ser pelas poucas e estreitas fendas que pode apresentar (rocha).
A presença dos vários tipos de horizontes mencionados está subordinada às condições que regulam a formação e evolução do solo. Como as condições variam de acordo com as circunstâncias do ambientes (material de origem, vegetação, clima, relevo, tempo) o tipo e número de horizontes de um perfil de solo são diferentes.

Retirado de:http://educar.sc.usp.br/ciencias/recursos/solo.html

sábado, 2 de janeiro de 2010

Angra dos Reis


Olá pessoal! Feliz ano novo!
Apesar das saudações de início de ano o nosso primeiro tópico de 2010 não é muito feliz, porém como trabalhamos a relação da sociedade com a natureza, a relação do homem com o espaço, é de Angra dos Reis que falaremos.

A cidade paradisíaca na Costa Verde do Estado do Rio de Janeiro é o destino de muitos turistas durante a época de férias, e inclusive eu mesmo com minha esposa e amigos iríamos para Paraty, na mesma Costa Verde, para passarmos o Reveillon. Porém, devido a enorme quantidade de chuva que caiu na tarde e noite do dia 30 de dezembro resolvemos desmarcar a ida! Incrível.

Acontece que a região em primeiro lugar é formada por uma representação montanhosa, a Serra do mar, que fica encostada no litoral sul fluminense. Essa cadeia montanhosa, que ainda é uma das únicas unidades de mata Atlântica existentes(apenas cerca de 7% da formação original)retém uma boa quantidade de umidade vinda do oceano adjacente. As chuvas portanto são bastante constantes e causam sempre grandes estragos quando veêm em grandes proporções(exagerando um pouco eu faria uma comparação com as monções no sudeste asiático). Em segundo lugar vem a já famingerada ocupação das encostas, que como eu citei aqui mesmo no blog em alguma postagem bem próxima eu já criticava e anunciava como uma grande vilã para este ano novamente. Como num somatório de ações ocorre um desastre, não podemos nunca criticar a natureza e continuamos pagando com a dor das perdas que já são anunciadas à cada chuva forte que cai nas cidades ou encostas, porque as leis da física já estão escritas à algum tempo. Geologicamente falando, o alto da montanha vai se decompondo com o intemperismo ao longo dos milhares de anos, uma camada de sedimentos vai se sobrepondo sobre as rochas mais abaixo. Com a quantidade de água que se acumula numa chuva orográfica tão intensa o peso do sedimento superior aumenta de forma absurda, até que em um determinado momento não resiste e sob a ação da força da gravidade é atraído para as partes mais baixas. Infelizmente sempre que isso vem ocorrendo precisamos contar as nossas vítimas. Angra até o fechamento deste post já contabilizava 41.
As estradas para a região estão fechadas. O usina nuclear que se localiza na área também teve um pedido de fechamento feito pelo prefeito local.